terça-feira, 29 de novembro de 2011

A INEXORÁVEL LEI DA MINORIA


Não se trata de probabilidade, se o espermatozoide é mais forte que o óvulo, nasce do sexo feminino, se o óvulo é mais forte que o espermatozoide, nasce do sexo masculino.
O mesmo sucede na vida:
- Se a ignorância prevalece sobre a inteligência, a tem têndencia é ficar cada vez mais inteligente.
- Se a tristeza prevalece sobre a alegria, a têndencia é ficar cada vez mais alegre.
- Se a pobreza prevalece sobre a riqueza, a tem têndencia é ficar cada vez mais rico.
-Se os defeitos prevalecem sobre as virtudes, a têndencia é ficar cada vez mais virtuoso.
- Se a infelicidade prevalece sobre a felicidade, a têndencia é ficar cada vez mais feliz.
-Se a dificuldade prevalece sobre a facilidade, a têndencia é ficar cada vez mais fácil.
-Se a solidão prevalece sobre a solidariedade, a têndencia é haver cada vez mais solidariedade.
-Se o ódio prevalece sobre o amor, a tendencia é haver cada vez mais amor.
-Se a escravidão prevalece sobre a liberdade, a tendência é haver cada vez mais liberdade.
- Se a maioria prevalece sobre a minoria, a têndencia é a minoria ficar cada vez mais forte.
-Se a democracia prevalece sobre a ditadura, a têndencia é a ditadura ficar cada vez mais forte.
-Se a justiça prevalece sobre a injustiça, a têndencia é a injustiça ser cada vez maior.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

INDEPENDÊNCIA OU MORTE!!!



É um facto inegável que todos nós nascemos dependentes: da mama, da palavra paterna e da interactividade famliar. Mas é incrivel como a maioria dos adultos adulterados em idade de maioridade ainda se mantêm dependentes: do dinheiro, da gula e do sexo. Sem dinheiro ninguém pode viver, mas sem principalizar ao uso de palavras interligadoras, paradoxais, o dinheiro é remédio fatal, liquida qualquer um. Sem comer ninguém pode viver, mas sem um critério de seleção do alimentos a maioria está a cair num processo de obesidade, diabetes,cancro. Sem sexo ninguém vai desenvolver sentimento humano, mas sem principalizar uma diferenciação sexual a maiora está a cair na sexualidade desgovernada impotencializadora ou castradora. Por isso quem não controla o que fala o que come e o que sente, vai encontrar um destino desconhecido involuntário, que tanto pode ser desorientado ocidental, como acidental oriental.

LIBERDADE MALDITA E ESCRAVATURA INÚTIL




Face ás crises sistemáticas progressivas do sistema monetarista desagregador antropofágico, lideres impostores, ditadores malditos, escravizam as suas vitimas com teorias hipotéticas de salvação económica, impondo impostos e taxas sucessivas, ditam lei em cima de lei e castram a familiaridade com educação robotizante idiotica, imaginando que dinheiro, justiça e educação são a salvação, quando o que a realidade histórica nos mostra que a salvação é do menos dependente do dinheiro, justiça abiótica e educação sistemática.
Dinheiro sem compromisso vital é a causa da corrupção sanguínea interna e caos social externo, justiça sem moralidade é a causa da justiça cega e sem coração, educação sem transformação da personalidade é a causa da deformação familiar e comunitária.
Não é pois de estranhar o apodrecimento sanguíneo da maioria que valoriza mais o dinheiro que a vida, a desintegração cardíaca dos que justiceiros e injustiçados e esquizofrenia paranóica dos que seguem a educação linear para viver no mundo circular espirálico.

NO PRINCIPIO E NO FIM ERA O VERBO UNIFICADOR



Não é preciso ser vidente, astrólogo ou bruxo, muito menos economista, sociólogo ou especialista em coisa alguma para saber que o fim se aproxima rapidamente:
O fim da solidariedade europeia sem solidão nacional potente, o fim utópico dos direitos sociais sem deveres familiares e individuais, o fim da família formal sem funcionalidade, utilidade, onde predomina a masturbação mutua estéril e a atrapalhação inconjugável, o fim da da individualidade escrava da medicina, justiça e religião sem responsabilidade transformal da doença em saúde, violência em paz e pobreza em riqueza.
Verbo todos tem, resta saber se é verbo é integrador ou desagregador, global ou parcial, solucionador ou enrolador, previdente ou inconsequente, atrasado ou adiantado.
Se no principio era o verbo religador,unificador que se fez carne e verba, o fim é a verba desintegrada, desreligada do verbo, o homem desreligado da mulher, deus desreligado do diabo, o lider desreligado dos liderados, o problema desreligado da solução.
Não resta pois outra alternativa ao ser humano senão aprender a religar os contrários, as contradições, os opostos, transformando os problemas em soluções, crises em oportunidades, dificuldades em facilidade, verbo em verba.

TUDO O QUE SOBE DESCE, EVOLUCIONARIAMENTE OU FATALMENTE



Quem imagina que podemos viver em constante evolução, vive na utopia e demagogia ilusória, depois do dia sempre vem a noite. No entanto muitos são os que querem evitar e negar a queda:
-os médicos querem a todo custo evitar e negar a doença e como tal tornaram a velhice em doença cronica cheia de remédios que a apenas remedia a industria médico hospitalar e farmacêutica, o parto normal divinal em doença assistida diabólica.
- A justiça quer a todo o custo evitar as injustiças e nada mais faz que punir as pequenas injustiças e justificar as grandes injustiças.
- A educação que quer evitar a incultura, deseduca as crianças para os tornar adultos adulterados ao ponto de confundirem direitos com deveres, problema com solução, evolução com degeneração, formação acadêmica com transformação da personalidade.
- A politica que quer facilitar a vida dos cidadãos e melhorar as condições de vida da população, nada mais faz que complicar a vida das pessoas com burrocracia cancerosa, taxando os que menos ganham para que os que mais ganham a poderem comparar luxo que se transforma em lixo.
Quem não entendem a realidade paradoxal da vida vai enloquecer, revoltar-se, indignar-se, vitimizar-se, inutilmente, fatalmente.
Apesar de todos os esforços e promessas da humanidade a realidade sempre tema em ser contraditória: quem procura saúde dependente de médicos, curandeiros, remédios, paradoxalmente vai piorar a sua doença e enfraquecer a própria vitalidade.
Quem procura a liberdade através de dinheiro vai encontrar destino de escravo, quer seja do trabalho, quer seja do consumismo decadente impotencializador, quem procura conhecimento através de informação sistematizadora hipotética vai acabar por desconhecer-se a si mesmo, encontrando um destino desconhecido involutário.
A vida é sequencia de quedas evolucionárias, para tal é preciso aprender a cair, quem rejeita a queda vital paradoxalmente vai encontrar queda fatal.

SOLIDARIEDADE É SOLIDÃO TERNÁRIA



Muita gente reclama da solidariedade dos outros, até mesmo lideres internacionais e mundias, reclamam de solidariedade como uma criança reclama de mamar, como se a solidariedade fosse um direito: O direito de ser amado, o direito de ser respeitado, o direito á opinião, o direito de ser feliz, o direito à saúde, o direito à justiça, o direito ao trabalho, o direito à educação, o direito à igualdade.
É exactamente esse direitismo que está transformar vida da maioria das pessoas e povos, até mesmo nacionalidades num sinistro total. Direito não é sinônimo de garantia e segurança, o direito é a conseqüência dos deveres solitários ternários, através do autocontrole mental, sentimental e fisiológico, quem não faz uso do seu livre arbitrio no autocontrole dos seus deveres funcionais, vitais, mesmo tendo solidariedade comparada ou imposta pela lei vai encontrar uma solidariedade apenas formal, sem função, deformadora, impotencializante e sinistra, que tanto pode ser o hospicio, a justiça cega ou a morte iatrogénica hospitalar .

OPINIÃOCRACIA É IDIOTACRACIA



OPINIÃO TODOS TEM, OPINIÃO APROPRIADA É RARO ENCONTRAR ALGUÉM!!

Vivemos na era das opiniões: opinião cientifica, opinião religiososa, opinião politica, opinião educacional, opinião publica, opinião jornalistica, opinião literária, opinião televisiva ou radiofonica, opinião amiga, ou inimiga, opinião médica, opinião europeia, etc.
No mundo das opiniões valem as ideias, os idealismos, mas no mundo real as opiniões não valem nada, a não ser confundir e diabolizar os mais idiotas, os cordeiros e bem intencionados, quem quiser evoluir e não ser vitima da opinião alheia ou própria, precisa aprender a desenvolver opinião apropriada, critérios e princípios interligadores, interactivos diferenciadores entre forma e função, interno e externo, global e parcial, analítico e sintético, principal e complementar, indispensável e dispensável, pois quem assim o não fizer invariavelmente vai viver uma meia vida baseada em opiniões parciais, anacrônicas, dispensáveis, imprevisíveis e insustentáveis.

DE LIDERES HERÓIS A VITIMAS DECADENTES



Toda a gente espera idioticamente, fatalmente, inutilmente que os maiores lideres mundiais mudem o mundo para melhor e acabem com os problemas milagrosamente.
Até mesmos os doentes esperam que os médicos acabem com as doenças, os injustiçados que juízes acabem com as injustiças, os pecadores que os padres acabem com os pecados, os pobres que o estado acabe com a pobreza e desigualdades sociais, as feministas esperam que o machismo acabe, e os machistas esperam que o feminismo acabe, até mesmo os que seguem deus esperam pela morte do diabo. Que infantilidade adulta, que imaturidade pueril!!!
Triste desilusão para quem assim pensa!
Será que esses mesmos lideres que prometem, o que nunca foi confirmado na história da humanidade, também poderão acabar com a noite e passarmos a viver sempre de dia.
Não são os lideres que vão mudar o mundo é o mundo que está a mudar os lideres, transformando todo o herói bem intencionado em vitima decadente, transformando todo o lider idealista em escravo do dinheiro, transformando a verdade em mentira legalizada, transformando a anormalidade em norma institucionalizada, transformando o roubo em meio de susbsistência universal.
Que arrogância inútil querer mudar o mundo: o sol e a lua, o frio e o calor, a luz e a escuridão, ao invés de aprender a adpatar-se ás adversidade vitais, evolucionárias, sustentáveis, normais.

HERÓI DA HISTÓRIA OU VITIMA DA REALIDADE?



Hoje em dia face às crise sucessivas sem fim á vista, não faltam: salvadores do euro, salvadores da pátria, salvadores da doença alheia, salvadores da justiça, salvadores da pobreza, salvadores das injustiças, salvadores da cultura, salvadores das especies em extinção, salvadores de Deus, e até salvadores de problemas.
Paradoxalmente são quase sempre esses mesmo salvadores que provocam as maiores catástrofes humanitárias: os médicos contra as doenças, os padres contra o pecado, os pacifistas contra a guerra, os governadores contra o desgoverno, os lideres contra os liderados.
É curioso e até mesmo infantil que o pensamento dos ditos salvadores do alheio seja sempre excludente de uma das duas partes antagônicas que compõe a realidade normal, integral, vital, sustentável e original.
O problema é que sempre quem exclui acaba sendo excluído pelo ordem da natureza que infalivelmente teima em tornar todo o herói da história alheia em vitima da própria vida.
Feliz e infelizmente ninguém pode salvar nada nem ninguém além de si próprio.
Nem deus, nem buda, pode salvar ninguém.
Somente que sabe salvar a si próprio com a ajuda da natureza pode evitar atrapalhar os outros, porque a maioria só sabe atrapalhar em vez de ajudar, complicar em vez de simplificar, drogar em vez de curar, culpar em vez de responsabilizar, envenenar em vez de nutrir, ver em vez de prever, atrasar em vez de adiantar. Salvação é evitar atrapalhar, quem imagina que salvação vai salvar só vai atrapalhar.