domingo, 29 de maio de 2011

TERRORISMO ECOLÓGICO ou HORRORISMO MENTAL?


Hoje em dia existe muita gente preocupada com a salvação do planeta, afirmando que dentro de alguns anos a vida humana será insutentável. Alguns mais bem informados apontam como uma das causas principais, o consumo exagerado de carne e seus derivados que é um dos principais causadores da poluição e devastação florestal a nivel mundial. Mas a realidade não tem nada a ver com isso. Isso é pura utopia, o planeta sabe muito bem curar-se a si mesmo e não precisa de ajuda de ninguém. O que precisamos é aprender a salvar a nós mesmos. Somente quem sabe salvar a si mesmo pode salvar os outros. O principal devastador e poluidor a nivel mundial é o consumo de açucar e todos os seus primos e irmãos, como a fruta, o mel, etc. e não a carne, a carne também é, mas é complementar. Mas ainda mais grave que comer açucar, fruta, mel e derivados é o uso habitual de palavras adocicadas, refinadas, sem sais minerais, desimunizantes,desmagnetizadas, sem fibra, desinterligadas do seu oposto e complementar. Não adianta querer salvar o planeta externo sem salvar o planeta interno, a flora intestinal, e quem não sabe usar palavra dinâmica, mesmo sendo bem intencionado, altruista, amoroso, equilibrado, vai acabar destruindo a si mesmo e aos outros, é só questão de tempo. O PIOR QUE EXISTE NÃO É O TERRORISMO ECOLÓGICO, MAS O HORRORISMO VERBAL. A MAIORIA SÓ USA CADAVERES VERBAIS, PALAVRAS SEM VIDA. COMO PODE UM CADAVER SALVAR COISA ALGUMA?