quarta-feira, 20 de abril de 2011

MACROBIOTICA NÃO É TERAPEUTISMO COMERCIAL NEM MISTICISMO RELIGIOSO


Muitas pessoas imaginam que a macrobiótica é um meio de atingir  paz, amor e felicidade. Melhor seria procurar uma qualquer religião e deixar de rezar o terço ao arroz integral, pois os principios da macrobiótica são os principios da simultaneadade, indivisibiliadde e porporcionalidade de paz/guerra, amor/ódio, felicidade/infelicidade, saúde/doença, etc, Outros porém menos religiosos e mais práticos pensam que a macrobiótica é uma maneira de garantir a saúde total, e de se verem livres das suas doenças e como tal prometem a cura do cancro e outras tais! Perfeita ignorância dos principios que suportam a macrobiótica, o principio da relatividade absoluta. Só tem paz relativa quem está prontificado para a guerra, principalmente interna, só tem amor provisório quem confirma a capacidade odiosa, principalmente a si mesmo, só tem felicidade efemera quem enfrenta as adversidades normais e entusiáticas da vida. Só tem vitalidade sanguinea quem corrige habitualmente a sua rota sanguinea. Mas mesmo corrigindo, sempre erramos por isso podemos recorrigir novamente. Não existe cura, existe auto-controle vital corrigido. Quem diz que a macrobiótica pode curar o cancro ou qualquer outra doença é um charlatão. Por isso a macrobiótica caiu num dos dois extremos opostos: o TERAPEUTISMO comercial, em que a doença é vista como negócio e  se lucra em cima da doença alheia, tornando o doente alienado, pagando para tal um valor altíssimo e recebendo o mínimo, esquecendo o dito terapeuta: "UM GRÃO DEZ MIL GRÃOS",  e o MISTICISMO alienante onde muitos por desconhecimento das leis vitais fogem da realidade problemática maravilhosa e se refugiam no folclore místico-religioso oriental, quer seja taoista, shintoista, budista,etc.